24 - 27 /
novembro
/ 2022

SALÃO NOBRE
E AUDITÓRIOS,
CÂMARA MUNICIPAL
DE ALENQUER

DISTRITO DE LISBOA

CONGRESSO INTERNACIONAL

Independências,
Império,
Escravidão,
Imigração
e Brasilidade

200 anos da Independência do Brasil (1822-2022)

Em conjunto com o 3.º SIRAL 2022
(Seminário Internacional - Religião, Arte e Literatura)

PRESENCIAL

Será creditado como ação de formação de curta duração.

SUBMISSÃO DE PROPOSTAS ATÉ 10 DE OUTUBRO DE 2022

0 1
Apresentação

Com a proclamação da independência pelo príncipe português Pedro de Bragança, a porção americana do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves transformou-se em Império independente. O período histórico do Império brasileiro, que existiu até 1889, é o foco desta conferência internacional. Entre 1822 e 1889, o Brasil tornou-se o maior estado escravista do mundo, numa época em que tanto o comércio transatlântico de escravos quanto a própria escravatura tinham sido quase universalmente abolidos. Os negreiros brasileiros operavam ilegalmente entre as costas da África e do Brasil, perseguidos por esquadrões britânicos e pelos tribunais das Comissões Mistas em ambos os lados do Atlântico.  Ao mesmo tempo, o Brasil

atraía centenas de milhares de imigrantes europeus para alimentar  a expansão e a consolidação

do território. Ao longo de décadas, este processo foi pautado por  conflitos e derramamento

de sangue, principalmente entre a população indígena brasileira.

Apesar de todas as dificuldades, a pedra fundamental do Brasil moderno foi lançada no Império brasileiro, que a partir de 1889, já como República, se via como um estado positivista, sob o lema “Ordem e Progresso”. Uma das consequências desta evolução dos acontecimentos foi a construção do conceito de Brasilidade no início da Primeira República.

0 2
Conferencistas Principais

 
 

0 3
Programa

24 DE NOVEMBRO, QUINTA-FEIRA

Salão Nobre da Câmara Municipal de Alenquer

 

09h30 | ABERTURA

Presidente da Câmara Municipal de Alenquer

Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas

Reitora da Universidade Aberta

Reitor da Universidade Lusófona

Presidente da Associação dos Historiadores Latino-Americanos

e Caribenhos (ADHILAC), Diretor do Centro de Estudos Interamericanos da Universidade de Graz, na Áustria

Presidente da Comissão Organizadora

Presidente da Comissão Científica 

10h00 | CONFERÊNCIAS INAUGURAIS

Presidência de mesa: José Eduardo Franco (CEG-Universidade Aberta) 

A independência “quiçá mais cara, – a independência intellectual”

Luísa M. Antunes Paolinelli (Universidade da Madeira)

A política brasileira durante o tempo das guerras napoleónicas na América do Sul

Christian Cwik (Universidade de Graz)

O lugar do Brasil na transição capitalista de Portugal na Modernidade

Raquel Varela (FCSH e HTC-Universidade Nova de Lisboa/CEG-Universidade Aberta)

A code for colonization, – Brazilian diplomats in Brussels

(1895-1910)

Janne Schreurs (KU Leuven)

 

DEBATE 

13h00 | INTERVALO PARA ALMOÇO

14h30 | CONSTRUTORES DO BRASIL: FIGURAS

E INSTITUIÇÕES

Presidência de mesa: Christian Cwik (Universidade de Graz)

 

Programa de Índio. Visões sobre o papel do índio

na nação brasileira

Elaine Pereira Rocha (University of the West Indies)

Vieira e os Jesuítas: Visões estratégicas significativas

do Brasil e do Novo Mundo

José Eduardo Franco (CEG-Universidade Aberta)

Revolução Mineira e a autodeterminação do povo brasileiro:

Subsídios para a afirmação de direitos humanos no contexto da independência do Brasil

Susana Mourato Alves-Jesus (CEG-Universidade Aberta)

João Fernandes Vieira – Um herói madeirense na libertação de Pernambuco

Isabel Paulina Gouveia (Universidade Aberta)

 

DEBATE  

16h15 | INTERVALO PARA CAFÉ

 

16h45 | BRASIL: O ESTADO DE NEGREIROS

E ESCRAVOCRATAS

Presidência de mesa: Jorge Enrique Elías-Caro (Universidad del Magdalena)

 

Independência e escravidão: A identidade do Brasil

na era das revoluções atlânticas

Rafael de Bivar Marquese (Universidade de São Paulo)

O tráfico negreiro e a escravidão no processo

de independência do Brasil

Alain El Youssef (Universidade de São Paulo)

Autoridades e escravidão na configuração da Polícia

e da segurança pública no Brasil imperial

Larissa Biato de Azevedo (Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”)

Nossa Senhora do Rosário entre escravos e missionários,

no Brasil

Lina Soares (Universidade Aberta)

DEBATE 

25 DE NOVEMBRO, SEXTA-FEIRA

Salão Nobre da Câmara Municipal de Alenquer

 

09h00 |  BRASIL: A INDEPENDÊNCIA

E AS MUITAS INDEPENDÊNCIAS

Presidência de mesa: Luísa M. Antunes Paolinelli (Universidade

da Madeira)

 

Independência involuntária. A luta contra a suposta crise global na época joanina (1808-1820) e as suas surpreendentes consequências

Debora Gerstenberger (Universität zu Köln)

Charqueadores e a independência do Brasil nos pampas

sul-rio-grandenses – O desenvolvimento socioeconómico

de Pelotas após o grito do Ipiranga

Stéfani Hollmann (Universidade do Porto)

A imprensa e as ruas nas independências do Brasil

(1822-1823)

Marcelo Cheche Galves (Universidade Estadual

do Maranhão)

O ano da independência: Datas e significados

Joana Silva (Universidade Aberta), Luís Miguel Coutinho Serpa (Universidade Aberta/Universidade Católica Portuguesa)

e Porfírio Pinto (Universidade de Lisboa/Universidade Aberta)

DEBATE 

10h30 | INTERVALO

 

11h00 | CONSTRUINDO IDENTIDADES:

BRASIL E BRASILIDADE

Presidência de mesa: Sergio Guerra Vilaboy (Universidad de La Habana)

Entre identidades

Annabela Rita (CLEPUL-Universidade de Lisboa) 

Brazilian dictadorships and National stereotypes, 1964-1985

Nikolaus Braunshör (Universidad Pablo Olavide de Sevilla)

A “brasilidade” em tempos de crise e perplexidade:

Do Golpe Parlamentar-Judicial de 2016 ao Bolsonarismo

Anderson Brettas (Instituto Federal do Triângulo Mineiro)

Perdigão Malheiros: Os dilemas do binômio razão e escravidão na história luso-brasileira

Ricardo Alexandre Ferreira (Universidade Estadual Paulista)

Uma filosofia de “brasilidade” em Emmanuel Carneiro Leão

Samuel Dimas (Universidade Católica Portuguesa)

 

DEBATE 

13h00 | INTERVALO PARA ALMOÇO

14h30 | CONSOLIDANDO A INDEPENDÊNCIA: INSTITUIÇÕES E PRÁTICAS

Presidência de mesa: Susana Alves-Jesus (CEG-Universidade Aberta)

 

A assistência médica na cidade do Rio de Janeiro no período pós-independência

Natália Ceolin e Silva (Universidade de Salamanca)

As instituições de ensino superior, uma análise da consolidação do ensino superior nos governos FHC e Lula, frutos da independência na formação de instituições

Thyago Lins (Universidade Estadual de Campinas)

Brasil: Su apoyo a la nación paraguaya en el siglo XIX y a la rehabilitación de la soberanía nacional del Austria del siglo XX

Uwe Christian Plachetka (University of Vienna)

Institutions of memory or institutions of forgetting? Reconciling the past on the example of Brazilian Truth Commission

Mirosław Michał Sadowski (CEG-Universidade Aberta/Polish Academy of Sciences)

 

DEBATE 

16h15 | INTERVALO

 

16h45 | RECEÇÕES E PERCEÇÕES

DA INDEPENDÊNCIA BRASILEIRA

Presidência de mesa: Natália Ceolin e Silva (Universidade de Salamanca)

 

La independencia de Brasil vista desde México

Alejo Maldonado Gallardo (Asociación de Historiadores Latinoamericanos y del Caribe)

e Rafaela Solís Muñoz (Universidad Marista de Guadalajara)

Guerra Junqueiro: Uma carta (quase) inédita ao Imperador, Luis de Andrade, Bilac e a História da Colonização do Brasil

Henrique Manuel Pereira (Universidade Católica Portuguesa)

Visões portuguesas do Brasil e do pensamento brasileiro: Entre Agostinho da Silva, Sampaio Bruno e António Braz Teixeira

Renato Epifânio (Universidade do Porto)

DEBATE 

18h30 | PALESTRA MAGISTRAL

Brasil y la América hispánica. Una comparación en perspectiva global, siglo XIX

Michael Zeuske (Universidad de Bonn)

26 DE NOVEMBRO, SÁBADO

Salão Nobre da Câmara Municipal de Alenquer

 

09h00 | COLONIALISMO, NEGRITUD

Y SOCIEDADES ESCLAVISTAS

Presidência de mesa: José Brissos-Lino (Universidade Lusófona)

 

Trata trasatlántica, poblamiento y los (nuevos) sentidos socioculturales de la América negra: Un acercamiento a las comunidades y personas negras del Caribe Colombiano

Fabio Silva (Universidad del Magdalena)

La fotografía: Una forma poderosa de colonización en el África Hispana

Alba Lérida Jiménez (Instituto de Historia – Consejo Superior

de Investigaciones Científicas)

La espiritualidad rastafari y una subjetividad panafricana

Roberto Almanza (Universidad del Magdalena)

Orden político y social en las sociedades esclavistas antillanas

Chelo Naranjo Orovio (Instituto de Historia – Consejo Superior de Investigaciones Científicas)

Una mirada sobre la discriminación. Lo negro y lo femenino

en la Cuba decimonónica

Desiree Cristóbal (Universidad Complutense/Instituto de Historia – Consejo Superior de Investigaciones Científicas)

Domingo Dulce y su proyecto reformista para una Cuba

en guerra (1868-69)

Javier Zúñiga (Universidad de La Rioja)

 

DEBATE 

 

11h00 | INTERVALO

 

11h30 |  BRASIL INDEPENDENTE: RELIGIÃO E LITERATURA

Presidência de mesa: Annabela Rita (CLEPUL-Universidade de Lisboa)

 

Brasil: Subsídios para a compreensão do pentecostalismo brasileiro nos últimos 100 anos

José Brissos-Lino (Universidade Lusófona)

A religião em Gilberto Freyre – O sincretismo

e a civilização “cristocêntrica”

Nuno Oliveira (ISCTE -  Instituto Universitário de Lisboa)

A poesia religiosa de Vinícius de Moraes

Luís Miguel Coutinho Serpa (Universidade Aberta/Universidade Católica Portuguesa)

“Porque é uma infâmia nascer para morrer [...]. Vou ficar muito alegre”: Breve ensaio em torno de Clarice Lispector

Rui Rego (CEG-Universidade Aberta)

 

DEBATE 

13h00 | INTERVALO PARA ALMOÇO

15h00 | CONFERÊNCIAS DE ENCERRAMENTO

Presidência de mesa: João Relvão Caetano (CEG-Universidade Aberta)

 

A luta violenta pela liberdade e a igualdade entre os deputados portugueses e brasileiros e a dinâmica da independência nas cortes constituintes (1820-1823)

José Subtil (Universidade Autónoma de Lisboa)

La geopolítica del Brasil y la independencia de Paraguay

Víctor-Jacinto Flecha (Universidad Nacional de Pilar)

Migraciones, xenofobia y legados culturales afros de las plantaciones bananeras en el Caribe colombiano

Jorge Enrique Elías-Caro (Universidad del Magdalena)

Brasil 1822, una comparación con Hispanoamérica

Sergio Guerra Vilaboy (Universidad de La Habana)

DEBATE 

 

20h00 | Jantar-convívio e Momento Musical e de Poesia

28 DE NOVEMBRO, DOMINGO

Visita cultural a Alenquer e prova de vinhos

 

 

0 4
Chamada de Comunicações

SUBMISSÃO DE PROPOSTAS

Convidamos todos os interessados a enviar propostas de conferências sobre os seguintes temas gerais:

- O caminho da Independência do Brasil: da Inconfidência Mineira ao Grito do Ipiranga (1789-1822)

 

- As muitas Independências do Brasil

 

- O primeiro reinado no contexto das independências latino-americanas (1822-1831)

 

- Rebeliões e revoluções no Brasil durante o processo de construção do Estado (1830- 1850)

 

- Brasil: o estado de negreiros e escravocratas (1822-1889)

 

- O rascunho da fronteira: a imigração europeia para impulsionar a expansão brasileira (1822-1930)

 

- O fim do império e da escravidão no contexto do estabelecimento do estado positivista (1880-1930)

 

- Construtores do Brasil: Figuras e instituições

 

As propostas (até 350 palavras), acompanhadas por um breve CV (até 200 palavras)

deverão ser submetidas até ao dia 10 de outubro através do email

congresso.brasil200anos@gmail.com

Taxa de inscrição: € 150,00 (até 10 de outubro de 2022)

Taxa de inscrição para assistir: € 50,00

 

0 5
Organigrama

COMISSÃO ORGANIZADORA

Presidente: Christian Cwik

ADHILAC / Universidade de Graz, Áustria

 

Anderson Ferreira Brettas (ADHILAC / Instituto Federal del Triângulo Mineiro, Brasil)

Cristiana Lucas Silva (Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal /

CompaRes – Associação Internacional de Estudos Ibero-Eslavos)

Dionísio Vila Maior (Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal)

João Diogo Loureiro (CLEPUL-Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa)

João Relvão Caetano (Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal)

Marcelo Cheche Galves (ADHILAC / Universidade Estadual do Maranhão, Brasil) 

Nathalia Ceolin e Silva (ADHILAC / Universidade de Salamanca, Espanha)

Paula Carreira (IECCPMA / Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal)

Rita Gil (Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal)

Rosa Sequeira (Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal)

Samuel Dimas (Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal)

Susana Alves-Jesus (Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal)

COMISSÃO CIENTÍFICA

Presidente: José Eduardo Franco

Centro de Estudos Globais da Universidade Aberta, Portugal

Alejo Maldonado Gallardo (Universidad Michoacana de San Nicolás de Hidalgo, México)

Annabela Rita (Universidade de Lisboa)

Carolina Crisorio (Universidad de Buenos Aires, Argentina)

Claudia Martinez Hernández (Universidad de Viena, Austria)

Edgard Leite (Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil)

Fernando António Baptista Pereira (Belas-Artes, Universidade de Lisboa)

Isabel Ponce de Leão (Universidade Fernando Pessoa, Porto)

Jorge E. Elias Caro (Universidad del Magdalena, Colombia)

José Álvaro Preudhomme (Universidad de Panamá, Panamá)

José Brissos-Lino (Universidade Lusófona)

Luiz Eduardo Oliveira (Universidade de Sergipe, Brasil)

Mariagrazia Russo (UNINT, Universidade de Roma, Itália)

Max Scriwanek (Arquivo Nacional de Curaçao)

Paulo Mendes Pinto (Universidade Lusófona)

Pierre Antoine Fabre (EHESS- Paris, França)

Raquel Varela (Universidade Nova de Lisboa, Portugal)

Renato Epifânio (Instituto de Filosofia da Universidade do Porto / Centro de Estudos Globais,

Universidade Aberta / Instituto de Filosofia Luso-Brasileira)

René Vilaboy Zalvidar (Universidad de la Habana, Cuba)

Roberto della Santa (Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal)

Sergio Guerra Vilaboy (Universidad de la Habana, Cuba)

Uwe Christian Plachetka (Vocal (ADHILAC)/Universidade de Viena, Aústria)

Vania Chaves (Universidade de Lisboa, Portugal)

Victor Jacinto Flecha (Vice-presidente (ADHILAC) / Universidad Católica Ntra. Señora de la Asunción, Paraguay)

SECRETARIADO EXECUTIVO

Coordenação: Milene Alves

Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal

Carolina Grilo (Instituto Europeu de Ciências da Cultura P. Manuel Antunes, Portugal)

Florentino Bernardes Franco (Instituto Europeu de Ciências da Cultura P. Manuel Antunes, Portugal)

Margarida Espiguinha (Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal)

Timóteo Cavaco (Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta, Portugal)

INSTITUIÇÕES PROMOTORAS

CEG-UAb – Centro de Estudos Globais, Universidade Aberta

ADHILAC – Associação dos Historiadores Latino-Americanos e Caribenhos

INSTITUIÇÕES ORGANIZADORAS

Centro de Estudos Interamericanos da Universidade de Graz

CompaRes – Associação Internacional de Estudos Ibero-Eslavos

KonaK – Associação dos Estudos e da Cultura da América Continental e o Caribe

INSTITUIÇÕES ASSOCIADAS

Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona

Câmara Municipal de Alenquer

CECS – Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade 

CLEPUL – Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas

e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Cooperativa Árvore

Dignipédia Global: Sistematizar, Aprofundar e Defender Direitos Humanos
em Contexto de Globalização 

Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa

IECCPMA – Instituto Europeu de Ciências da Cultura Padre Manuel Antunes

IURIS – Instituto de Investigação Interdisciplinar da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Observatório de Língua Portuguesa

Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas

Universidade Fernando Pessoa

 
 

0 6
Inscrições e Informações

Dê início ao seu processo de inscrição/contacto
arrow&v

Muito obrigado.

Responderemos em breve.